Resenha : Ligeiramente Seduzidos, de Mary Balogh


Livro: Ligeiramente Seduzidos
 Autor (a): Mary Balogh
Editora: Arqueiro / Gênero: Romance de Época
Páginas: 288 / Ano: 2016
4º livro da série Os Bedwyns
Skoob

     Oi, oi gente! Olhaaa a resenha fresquinha, fresquinha! rsrs. Hoje trago a resenha do livro de época Ligeiramente Seduzidos, que vai nos contar a história de Morgan Bedwyn, a mais jovem da família Bedwyn. O livro é o quarto da série e publicado pela editora Arqueiro, escrito por Mary Balogh. 


     Morgan é a irmã mais nova da família Bedwyn. Ela está com amigos para uma temporada em Bruxelas. Na verdade, Morgan foi mais porque estava extremamente curiosa com a possível guerra que estava prestes a acontecer. Morgan queria observar de perto esse momento histórico. E estava quase comprometida com um dos oficiais que estariam lutando caso a guerra realmente estourasse. 


Passado e futuro, por exemplo, não existem realmente, concorda? Há apenas o presente. Mas se essas percepções contrastantes não existissem, não seríamos capazes de organizar nossa vida ou nossos pensamentos. Seríamos inundados por tudo acontecendo ao mesmo tempo e por milhares de decisões tendo que ser tomadas simultaneamente. 

     Mas ao participar de um baile é atraída por um conde muito mais velho - ora, nem muito mais velho assim: ele com 30 e ela com 18. E o flerte cresce e Morgan gosta de desafiar as pessoas, gosta de mostrar que está no comando da situação e se arrisca a cair nas graças de Gervase, o conde sedutor e de palavras doces, um galanteador nato com sotaque francês. O que Morgan não sabe é que Gervase só está a cortejando para dar o troco em certa pessoa que interferiu em seu passado. E a pessoa nada mais é do que Wulfric Bedwyn, irmão de Morgan. Gervase tem certeza que Wulfric vai odiar saber que está cortejando sua irmã. E sua vingança será doce.


Os efeitos do beijo, descobriu Morgan, não se restringiam à área dos lábios. Ela sentiu toda a cavidade da boca ansiando por mais, então o pescoço, os seios, o abdômen e a parte interna das coxas. Quando o conde enfim afastou a cabeça, Morgan compreendeu como um simples beijo podia ser perigoso. Ela sentia o calor do corpo dele se espalhar pelo próprio corpo, das sobrancelhas aos dedos dos pés. E estava tão consciente da masculinidade dele que chegava a ser chocante. 

     Mas o que Gervase não sabe é que além de linda, Morgan é uma mulher maravilhosa. Madura, ajudou os despedaçados da guerra, quando voltaram para casa feridos. Dispensou horas e horas cuidando de ferimentos e chorou quando seu irmão não voltou com uma correspondência durante o período de guerra. Morgan descobre em Gervase um amigo, que lhe amparou durante esse período hostil pelo qual passou. Quando os dois resolvem se entregar um para o outro, em uma noite que ambos estão necessitando de algo mais que palavras, Gervase se vê rendido ao que achava ser sua a vingança e Morgan não aceita que Gervase lhe peça sua mão em casamento apenas por causa de uma noite. Morgan quer ser amada, quer um casamento além de aparências e conveniências. E quando descobre que a aproximação de Gervase foi por conta de um desentendimento que o mesmo nutria por seu irmão, Morgan não sabe mais em quem confiar. 
     
     Gervase não esperava se apaixonar por sua doce vingança e reconquistar o coração de Morgan será trabalhoso. Uma árdua tarefa, que você só saberá se irá ser bem sucedida ou não lendo o livro!


     Minha opinião: dos livros da série, este foi o que menos gostei até agora. Não fui muito fisgada pelo casal principal. Achei o Gervase meio irônico, às vezes eu não conseguia saber se ele estava sendo sincero ou não. E como a questão da guerra foi contada de forma bem detalhada no início do livro, achei que ele ficou meio travado. Foi uma experiência legal, eu adoro livro de séries que contam a vida de cada irmão, gosto muito mesmo. Mas este livro me deixou com a sensação de que ficou faltando algo. Mas com certeza vou adiante com a série, os três primeiros livros foram ótimos, gostei demais, só este mesmo que me deixou meio assim rsrs, mas essa é uma opinião minha, então leia e se apaixone por essa família! Eles são tempestuosos e isso é o que mais me anima em ler. Morgan com apenas 18 anos dá um baile em muita menina de 30 no quesito maturidade. Dela gostei bastante!



Sinopse:
Jovem, estonteante e nascida em berço de ouro. É apenas isso que Gervase Ashford, o conde de Rosthorn, enxerga em Morgan Bedwyn quando a conhece, num dos bailes da alta sociedade inglesa em Bruxelas. Em circunstâncias normais, ele não olharia para ela duas vezes - prefere mulheres mais velhas e experientes. Porém, ao saber que Morgan é irmã de Wulfric Bedwyn, a quem Gervase culpa pelos nove anos que passou longe da Inglaterra, decide que ela é o instrumento perfeito para satisfazer seu desejo de vingança. 
Mas Morgan, apesar de jovem e inocente, também é independente e voluntariosa e, assim que entende as intenções do conde, se prepara para virar o jogo e deixar claro que não se deixará manipular por ninguém. Em Ligeiramente Seduzidos, quarto livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos brinda com mais uma história fascinante. Em uma trama repleta de traição e vingança, escândalo e sedução, ela mostra que o caminho para o amor pode ser difícil, mas que a recompensa faz cada passo valer a pena.


www.editoraarqueiro.com.br



Outros livros da série:



Vamos para a Bienal do Livro?


Oi oi pessoal!
tudo bem?

 E aí! Animados para a Bienal do Livro de SP?
Eu estou mega animada - mas só vou um dia! choro eterno... hahah mas já tá mega ótimo!
Para quem nunca foi. 
Simmmm eu nunca fuiii! 
Sabe quando nunca dá certo, quando a pessoa tem medo de andar sozinha em São Paulo... e tals?
Bom, agora o meu marido mais lindo do mundo vai me levar e vai ser épico! ahaha
pelo menos pra mim vai... haha... pra ele já não sei, acho que nem tanto, já que não gosta de ler, mas o amor dele por mim é tão, tão enorme que ele fará esse sacrifício! hahah

Então esperem muitas fotos do evento!
Vou tirar foto de tudo o que eu ver! haha
sou exagerada mesmooooooooooo!

Bom é isso!
Para quem também vai, espero vocês lá!
bjo, bjo!
:)

obs: detalhe para a promo que eu ganhei no ig do instagram do pessoal da Pólen. 
@papelpolenoficial





Cupom de desconto para a Bienal do Livro e parceria com a editora Young

Oi oi pessoal!
tudo bem?

Ainda não tinha dado tempo de comentar, 
mas agora o blog também é parceiro da editora Young!
E eles estão com uma programação super legal para a Bienal do Livro.

Se você levar o cupom abaixo impresso e apresentar no stand deles, ganha 10% de desconto na compra dos livros (cupom não cumulativo com outras promoções). Então é só falar que você pegou o cupom do blog do Livro Doce Livro que será validada a promoção! A promoção é válida até o dia 02/09.


Abaixo segue a programação da editora para a Bienal e os principais autores que estarão lá para autógrafos e bate papo. Sempre que tirar uma foto lá com o pessoal da Young, coloca nas redes sociais pra gente ver e curtir!

>>>>>>> Use a hashtag #youngnabienal <<<<<<<<



Muito feliz com mais essa conquista aqui do blog, e desejo muito que essa parceria traga bons frutos e ótimas leituras!
:)

Lançamentos da Editora Novo Conceito


Oi oi pessoal!
tudo bem?

Hoje vou trazer os principais lançamentos da editora Novo Conceito dos últimos meses e dos próximos. Tem resenhas de alguns deles aqui no blog, para quem interessar!
:)


Resenha : As Flores do Mal, de Charles Baudelaire


Livro: As Flores do Mal
 Autor (a): Charles Baudelaire
Editora: Martin Claret / Gênero: Poesia
Páginas: 256 / Ano: 2012
Skoob

Olha a resenha! Hoje a resenha que trago é do livro de Charles Baudelaire, publicado pela editora Martin Claret, intitulado As Flores do Mal. Gente, sério, o livro já te arrepia com esse título não é mesmo? rsrs. A edição da Martin Claret está linda! Letras ótimas de serem lidas, tradução ótima também - deve ser muito difícil traduzir poemas - e a capa está maravilhosa!


 

O livro foi publicado pela primeira vez no ano de 1857. Baudelaire é um clássico da literatura Francesa, considerado um dos mais importantes nomes de todos os tempos. Logo jovem, Baudelaire perdeu o pai, e sua mãe se casou novamente com um general, o comandante Aupick, com quem não tinha bom relacionamento. 


Estudando um pouco mais da vida do autor, pude observar que ele era aquele tipo que gostava de festas e de levar a vida despreocupadamente. Muitos revelam que viveu uma vida bastante mundana. E fica bem claro em seus poemas o tipo de vida que levou. O livro as Flores do Mal, reúne praticamente toda a sua produção poética, contribuindo decisivamente para o desenvolvimento do conceito de "modernidade", de acordo com o prefácio do livro.

A obra conta também com os poemas que foram condenados e retirados da obra original na época, num processo movido pela Segurança Pública por ultraje à moral pública. Destaco um trecho do poema, destes que foram proibidos: Àquela que é alegre demais. 

Tua cabeça, teu gesto e ar
São belos como uma paisagem;
O riso em teu rosto a brincar
Está, como no céu a aragem.

[...]

Essa roupa louca é o emblema
Do espírito teu colorido;
Louca por quem estou perdido,
Odiar-te e amar-te é o meu dilema.

Durante a leitura dos poemas podemos perceber que o autor sofre graves dilemas. Ora se regojiza com a vida, ora a detesta, a humilha, deseja morte. Parece que os poemas são permeados por espinhos, abismos, ruínas. Parece que a alma do autor se desfalece em cada linha. São poemas sombrios, mas ao mesmo tempo doces, um pedido de socorro. Muito emocionante de ler.

Fui procurar algumas coisas sobre o autor na internet e encontrei um documentário bem interessante, que divido com vocês:




Quem tem os pensamentos como a cotovia,
Que para os céus bem cedo o seu voo já estende,
- Quem plana sobre a vida e sem esforço entende
A linguagem da flor e do que silencia!

Para quem gosta de poemas declamados, vou compartilhar um vídeo de um deles, que consta no livro. 
As traduções diferem de cada edição, e de cada tradutor.


Poesia sempre é algo muito pessoal e individual. Mas eu, particularmente, adorei conhecer o autor - acreditem, nunca tinha lido nada dele. E alguns poemas vão ficar pra sempre na minha memória, porque realmente marcam. 
Convido vocês também a fazerem essa travessia entre as sombras, para então enxergar a luz com outros olhos.


Sinopse:
O poeta crítico francês Baudelaire inventou uma nova estratégia da linguagem, incorporando a matéria da realidade grotesca à linguagem sublimada do romantismo, criando, dessa maneira, a poesia moderna. Sua obra-prima é o livro As Flores do Mal, cujos poemas mais antigos datam de 1841. Além de celeuma judicial, o livro despertou hostilidades na imprensa e foi julgado, na época, imoral.

Resenha : Uma pitada de amor, de Katie Fforde


Livro: Uma Pitada de Amor
 Autor (a): Katie Fforde
Editora: Record / Gênero: Romance / Chick Lit
Páginas: 400 / Ano: 2015
Skoob

     Oi, oi gente! Tudo bem? Hoje a resenha que trago é do livro Uma Pitada de Amor, romance bem levinho da autora Katie Fforde, publicado pela editora Record. Gosto muito dos formatos dos livros da Record, as letras são ótimas, o livro é mais grossinho e menor, páginas amareladas, ótimo para leitura. 


     Temos uma protagonista neste livro - Zoe. Zoe foi uma das escolhidas, após passar por um critério de seleção a participar de um reality show de culinária. Uma disputa, que oferece um prêmio em dinheiro para o melhor cozinheiro. A disputa será realizada em uma grande casa de campo, com competidores muito bons e jurados rigorosos. 

     Ao ser a primeira a chegar na casa, Zoe resolve explorar o terreno, para aliviar sua tensão. Quando escuta um carro cair em uma vala, próximo da árvore onde resolveu se sentar para relaxar um pouco, seu instinto de ser prestativa se aguça e sai em socorro da pessoa que não viu o buraco. Por coincidência o cara que está com problemas é um dos jurados do reality, Gideon Irving. E ele parece bem mais bonito e sexy pessoalmente. Apesar de o primeiro encontro ser meio rude, Zoe não consegue mais tirar os olhos dele, dizendo para si mesma que não vai revelar para ninguém que já teve um primeiro encontro com um dos jurados, para não levantar suspeitas. 


     Zoe faz amizade fácil com todos os competidores, exceto com sua colega de quarto Cher - ô mulherzinha mais chata! - que está na competição apenas para aparecer na tv, apesar de saber cozinhar. Cher vai ser uma daquelas pessoas que vai fazer de tudo para sabotar Zoe, pois a vê como uma potencial rival. Inclusive vai começar a espalhar que Zoe está perdidamente apaixonada por Gideon Irving, um dos jurados, situação que Zoe tenta a todo o momento abafar. Lógico que não se importaria se não fosse verdade... mas...


     Sim, Zoe e Gideon acabam se encontrando algumas vezes, já que estão instalados no mesmo casarão onde estão ocorrendo as provas culinárias e depois de ficar trancada para fora de seu quarto (porque Cher lhe tranca propositalmente para fora), Zoe vai procurar um outro lugar na estalagem e só vê como saída dormir no mesmo quarto que Gideon, que tem uma cama enorme. Conhecê-lo melhor desperta sentimentos contraditórios em Zoe. Ela sabe que ele é um jurado, então ter um relacionamento com um jurado não seria considerado trapassa? Mas Zoe é uma ótima cozinheira e acredita que estar emocionalmente envolvida com um dos jurados não vai atrapalhar seus planos na competição. Não se forem discretos. Mas vão conseguir ser? É isso que te convido a descobrir lendo o livro :)

     Bom, tenho algumas opiniões divergentes sobre o livro. Eu adoro realitys de culinária. Assisto a vários na tv. Sobre esse ponto gostei bastante do livro, mostra bastante sobre a competição, os pratos elaborados, foi bem legal de acompanhar. Mas por outro lado, o casal principal do livro me deixou com aquela sensação de que faltou tempero - e muito. A primeira vez que ficaram juntos esperava um capítulo todo de carícias e beijos, e falas suaves e conhecimento mútuo, mas a autora resolveu não nos presentear com esse tipo de cena rsrs, então pra mim ficou tudo muito raso. Achei totalmente desnecessário também o envolvimento da participante Zoe com o casal dono da casa, onde acontecia o Reality. Zoe ficou amiga logo de cara da dona Fenella, que estava grávida. Mas começou a se tornar tipo uma empregada da dona da casa, a acudindo sempre que preciso. Do meio pro final a autora saiu totalmente da história para mostrar Zoe ajudando Fenella com os pais do seu esposo que chegaram à casa para acompanhar o nascimento do Bebê. Enquanto Fenella fica no hospital, Zoe resolve fazer ás honras para pais extremamente insuportáveis, que a tratam como empregada e muito mal. E de repente Fenella dá sua filha para ser batizada por Zoe, só porque ela foi muito prestativa, sendo que nem a conhecia direito. Achei um pouco forçado. Se não fosse esse trecho eu teria dado nota 4 para o livro, mas como achei que fugiu bastante do enredo, acabei dando nota final 3.


Decidi há algum tempo não deixar que minha felicidade dependesse de um homem. 

     Mas convido vocês a conhecerem, ele é um livro bem fofo em alguns trechos, o final também foi bem gostoso de ler, e sobre a competição culinária achei um tema bem legal. Eu ficava imaginando cenas do Master Chef toda hora na minha mente, enquanto lia. Então arrisque, é um ótimo livro para se ler quando se quer relaxar e curtir um desafio gastronômico. 


Sinopse:
Uma aspirante a cozinheira em um programa de TV. Um jurado muito atraente. Um amor proibido.
Quando Zoe Harper conquista uma cobiçada vaga em um reality show de culinária, ela mal pode esperar para pôr suas habilidades à prova. Sua principal motivação é o prêmio em dinheiro: um valor que certamente a ajudaria a abrir sua tão sonhada delicatéssen. 
No entanto, ela logo percebe que a competição vai muito além da cozinha. Cher, outra concorrente, está disposta a tudo para ganhar, incluindo jogar seu charme para cima dos jurados. E as coisas se complicam ainda mais quando Zoe percebe que está se apaixonando por um deles: o incrivelmente sexy Gideon Irving. Com tudo o que está em risco, os dois têm muito a perder caso se envolvam, algo que parece cada vez mais inevitável.
De repente, Zoe percebe que há mais em jogo do que apenas canapés, cupcakes e técnicas de corte. Uma pitada de amor é um livro engraçado e doce na medida certa.
• Uma pitada de amor foi vencedor do prêmio de melhor romance contemporâneo da Romantic Novelists’ Association, instituição inglesa que tem por objetivo promover a ficção romântica. 
• Da autora, a Editora Record já publicou Amor nas entrelinhas.
• Para fãs de chick-lit e reality shows de culinária. Este tipo de programa de TV vem se tornando cada vez mais popular no Brasil e no mundo, como Masterchef, Top Chef, Hell’s Kitchen, Cake Boss, Cozinha Sob Pressão, Cozinheiros em Ação.





Resenha : O Mundo de Vidro, de Maurício Gomyde


Livro: O Mundo de Vidro
 Autor (a): Maurício Gomyde
Editora: Porto 71 / Gênero: Literatura Brasileira / Romance
Páginas: 235 / Ano: 2011
Skoob



     Oi, oi gente! Tudo legal por aí? Hoje a resenha que trago é do livro O Mundo de Vidro, de Maurício Gomyde, publicado pela editora Porto 71. Li em e-book, comprei pela Amazon, um site que adoro comprar e-books, sempre com preços muito bons. 

     Este é o segundo livro do Maurício que leio, apesar de ser seu primeiro livro publicado. Este livro foi bem diferente do primeiro que li (Ainda não te disse nada >> Clique Aqui << para ler a resenha). "Ainda não te disse nada" foi uma leitura mais delicada, uma história mais romântica, tranquila. Ler O Mundo de Vidro foi o oposto. Uma história bem engraçada, um romance bem pastelão, com trechos bem improváveis e lotado de vida real rsrs. Sim, porque a vida real é essa loucura toda mesmo! rsrs. 

     São dois os personagens principais. "Ele" e "Ela". Porque durante o livro o autor não revela o nome dos dois personagens. E no final ele faz uma sacada fenomenal com isso, mas não vou estrega a surpresa rsrs. 
     "Ele" é tímido, não tem amigos, só tem um papagaio chamado Horácio, mas que na verdade descobriu que era fêmea e fala uns palavrões. "Ela" é linda, uma deusa, inteligente, resolvida, o tipo de mulher que o cara quer ter do lado pra sempre.
     Ele se encanta por ela uma vez, quando a vê comemorando a virada do ano com seu amado na tv - um repórter fraga os dois aos beijos na Times Square, mostrando casais apaixonados curtindo o novo ano. 

     Um belo dia ela pega o mesmo metrô que Ele. E Ele se apaixona novamente, perdidamente á segunda vista rsrs. E Ele vira tipo um Stalker dela. Ele a segue, se matricula no curso que acha que Ela faz na faculdade - depois descobre que Ela na verdade é a professora e que Ele não sabe nada de economia e de finanças e se vê numa tremenda enrascada, porque seu salário está indo quase todo para aulas que nem lhe interessam... nossa Ele faz uma loucura atrás da outra para ficar perto dela. Compra roupas caras que mais parecem de uma arara por recomendação de um estilista famoso para parecer apresentável, começa a fazer exercícios físicos e até escreve uma letra de música linda para Ela. Eles se aproximam, viram amigos e Ela começa a gostar da companhia dele. Mas quando lê a letra da música que ele fez, carregada de amor enquanto nele Ela só vê um amigo, fica transtornada e resolve não vê-lo mais. E os dois tentam se esquecer durante esse tempo. Mas não conseguem. Ele não consegue porque tem certeza que Ela é a mulher da vida dele, Ela porque acostumou com o jeito esquisito e amigável dele. 

     Durante esse afastamento Ela começa a receber por e-mail de um desconhecido trechos de um livro, chamado O Mundo de Vidro. Uma história linda, cheia de amor. Ela quer saber quem escreve palavras tão lindas, quem é esse cara tão sensível que ainda sobrevive apesar de todos os outros homens esdrúxulos que andam por aí, partindo corações de mulheres sensíveis. Mas ele não se revela. E Ela fica fula da vida. Diz que não quer receber mais nada, e ele continua mandando. Ela desconfia Dele, do cara que fez uma música pra Ela, que agora estourou nas rádios de todo o país, porque alguém fez um arranjo super legal com a música, aquele cara que Ela deixou escapar, por medo, por Ele ser fora dos padrões, por Ela não estar preparada, por ter acabado de terminar um relacionamento. E Ela começa a pensar - e se... e se... 

     Enquanto Ele, tenta esquecê-la, inutilmente.
     Afinal Ela é a mulher da VIDA DELE! Definitivamente Ela é a mulher da vida dele. E por que não seria? Sim, por que?...
     Só porque ele é um esquisitão e ela uma deusa? Só porque ele não tem uma vida badalada, amigos, dinheiro? Só porque Ele "morava sozinho. Sabia o nome de cinco pokémons. Era sozinho"?


Meu Deus do céu! Meu Santo Antônio Casamenteiro! Meu São Judas Tadeu! Meu Santo Expedito! Minha Nossa Senhora Desatadora dos Nós! - pensou desesperado. Era ela. Quase teve um enfarte, um derrame, uma paralisia facial, um colapso nervoso. 

     O final você precisa saber lendo o livro. Achei muito original e debochado e real e sentimental, tudo ao mesmo tempo! rsrs. Nos mostra que buscamos tanto a perfeição de tudo, mas que o amor pode sim estar no imperfeito - e o imperfeito é tão, tão mais interessante! Recomendo a leitura, para quem quiser se divertir com um romance totalmente improvável. 


Sinopse:
Até onde pode ir a paixão de uma pessoa por outra? Como, quando e por que começa? Até que ponto pode-se cometer alguma loucura para fazer parte da vida de alguém? Quais as consequências da paixão avassaladora incompreendida? E quando não se admite a óbvia paixão por outra pessoa? Neste seu primeiro e hilariante romance, Maurício Gomyde conta a história de duas pessoas, Ele e Ela, tentando responder estas aparentemente simples perguntas.
Passeando com extrema facilidade tanto pela linguagem refinada e sutil quanto pela tosca, Maurício Gomyde nos brinda com um livro de leitura fácil e extremamente agradável.

Correio - As Flores do Mal, de Charles Baudelaire


Oi, oi gente!
Tudo belezinha?

Hoje vou mostrar para vocês o que chegou pelo correio ontem!
Um livro de poesias, em parceria com a editora Martin Claret.
O livro recebido é As Flores do Mal, do francês Charles Baudelaire, um dos maiores poetas críticos, que marcou as últimas décadas do século XIX, influenciando a poesia internacional de tendência simbolista.





Já dei umas viradas nas páginas e dá para notar que os poemas são bem sombrios, poemas bem característicos e para uma amante de poesias como eu, este é um prato cheio! Alguns poemas de Baudelaire foram até excluídos da tiragem original, à pedido da Segurança Pública francesa por ultraje a moral pública. Tenso ou não? hahah.

Depois vou trazer uns trechos dos melhores poemas para vocês, quando terminar de ler, em forma de resenha. Ficaram curiosos como eu? 
Bora lá comprar o livro no site da editora!

Bjo, bjo!

Resenha : O Meu Pé de Laranja Lima, de José Mauro de Vasconcelos


Livro: O Meu Pé de Laranja Lima
 Autor (a): José Mauro de Vasconcelos
Editora: Melhoramentos / Gênero: Literatura Brasileira
Páginas: 192 / Ano: 2013
Skoob



     Oi, oi gente! tudo bem? Hoje a resenha que trago é desse livro que fez parte da infância de muita gente, inclusive da minha. Trago para vocês O Meu Pé de Laranja Lima, de José Mauro de Vasconcelos. A edição que li foi da Melhoramentos, e está linda por sinal. Pra falar a verdade eu nunca tinha lido o livro inteirinho. Lembro que na escola trabalhávamos com alguns trechos em sala de aula e sou grata por ter lido esse livro somente agora. Porque quando a gente é muito novo ainda não tem muita maturidade na leitura, então trechos que me fizeram encher os olhos agora, provavelmente não teriam sido tão marcantes se eu tivesse lido em um outro momento.


     O livro trás a história de Zezé (nota-se que é meio biográfico o livro, já que o personagem principal é diminutivo de José e o pai de Zezé no livro tem sobrenome Vasconcelos, como o autor). Zezé é uma criança peralta, como qualquer criança. Mas tem como principal companheira a pobreza extrema. Nenhuma criança deveria ter como companheira a pobreza. Sua família rala todos os dias para conseguir trazer algum tostão em casa. E com o pai desempregado, parece que as coisas pioraram em graus muito elevados. 

     Por ser um garoto peralta, Zezé é o saco de pancada da família. E gente, fiquei com o coração muito apertado, porque esse menino apanha demais nesse livro. Puxa vida, isso foi o que mais me deixou com o coração partido. Porque esse negócio de bater não leva a nada. A gente acompanhava o pensamento do menino logo depois das surras, e só no que ele pensa é em vingança, dor, fúria e coisas negativas. Quando que apanhar constrói o caráter de alguém? Eu tenho que pra mim, nunca. A situação difícil da família também era um fator - o pai, sempre desgostoso e sem dinheiro, via em Zezé sua forma de se rebelar contra o mundo. Uma das surras quase matou o menino, inclusive. Foi muito triste de ler.


     Zezé, para fugir desse ambiente grotesco no qual crescia inventava seu mundo. Tinha uma sensibilidade fora do comum, e muitas frases suas têm a capacidade de deixar qualquer leitor de queixo caído, e com vontade de abraçá-lo. Dá vontade de trazer Zezé pra casa e cuidar dele. E foi isso que quase fez o seu Portuga, um senhor taxista na cidade, que se comoveu com a história do garoto e o levava para cima e pra baixo no seu carro cuidando dele e dando atenção. Nesta relação podemos ver claramente que o que fez Zezé se apaixonar por Portuga foi seu carinho, sua atenção, não as coisas que ele lhe dava. Criança só precisa disso - ser amada. Não precisa de mais nada.


- Quem sabe ano que vem... Por que você não aprende e não faz como eu? - E como é que você faz? - Não espero nada. Assim a gente não fica desapontado.

     Quando sua família se muda para uma nova casa, é no Pé de Laranja Lima que Zezé descobre um novo amigo. É ele que ouve suas travessuras, é nele que Zezé brinca todos os dias e o seu Pé de Laranja Lima que lhe dá as maiores alegrias na vida. Ler sobre isso me deu uma saudade dos pés de frutas que eu tinha no quintal de casa! A gente sobia mesmo, em todos eles. E poucas crianças agora nesse mundo de concreto em que vivemos terão o prazer de poder subir em árvores. Espero que meus filhos possam ter esse tipo de momento e vou fazer de tudo para que possam.


    O livro é sentimental, é reflexivo, é lindo! Mas também triste, dolorido e real. Recomendo a leitura, para quem quer se emocionar e cavalgar nas histórias imaginárias de Zezé e descobrir como se faz para driblar as coisas ruins deste mundo.


Agora sabia mesmo o que era a dor. Dor não era apanhar de desmaiar. Não era cortas o pé com caco de vidro e levar pontos na farmácia. Dor era aquilo, que doía o coração todinho, que a gente tinha que morrer com ela, sem poder contar para ninguém o segredo. Dor que dava desânimo nos braços, na cabeça, até na vontade de virar a cabeça no travesseiro. Ás vezes sou feliz na minha ternura, às vezes me engano, o que é mais comum. A verdade (...) é que a mim contaram as coisas muito cedo.  



Sinopse:
Na obra juvenil mais conhecida de José Mauro, a pobreza, a solidão e o desajuste social vistos pelos olhos ingênuos de uma criança de seis anos. Nascido em uma família pobre e numerosa, Zezé é um menino especial, que envolve o leitor ao revelar seus sonhos e desejos, por meio de conversas com o seu pé de laranja lima, encontrando na fantasia a alegria de viver.




Resenha : O Velho e o Mar, de Ernest Hemingway


Livro: O Velho e o Mar
 Autor (a): Ernest Hemingway
Editora: Bertrand Brasil / Gênero: Literatura Estrangeira / Aventura
Páginas: 126 / Ano: 2013
Skoob

     Oi, oi gente! tudo bem? Hoje vou trazer a resenha do clássico livro O Velho e o Mar, de Ernest Hemingway. Começo destacando que essa edição da Bertrand Brasil tá maravilhosa! Tem umas gravuras muito lindas dentro do livro, capa super sugestiva, letras ótimas de serem lidas, páginas amareladas. Tá linda mesmo, fico feliz quando leio um livro bonito - quem não fica? rsrs. Sou muito visual hahah. 




     Foi minha primeira experiência com o autor. Não sei se vai se tornar um favorito, mas pretendo ler outros livros dele. Precisamos julgar tudo ao ler um livro clássico - o ano que foi escrito e quando o autor o escreveu. A linguagem do livro é um pouco diferente da que estamos acostumados agora, mas nada rebuscado. Pelo contrário, a história é bem simples, bem direta. Senti quase como se estivesse lendo uma fábula.

     O autor nos conta a história de Santiago, um velho pescador. Santiago que em sua velhice já não acredita em sorte e não tem ninguém no mundo que se preocupe com ele, apenas um garoto chamado Manolin, que está aprendendo a pescar e vê na velhice e experiência de Santiago muitas riquezas. Mas fazem 84 dias que Santiago não pesca nada. Nem um peixinho. A situação está ficando difícil, já deve para a cidade inteira e precisa quase pedir esmolas para sobreviver. E pedir esmolas é uma afronta. Não admite. Então como todos os dias, sai novamente para pescar, acreditando que desta vez conseguirá algo. Não deixa o garoto Manolin o acompanhar, pois acredita que o garoto terá mais sorte em outro barco.


A vela fora remendada em vários pontos com velhos sacos de farinha e, assim, enrolada, parecia a bandeira de uma derrota, permanente.

     É então que a história fica emocionante. A gente acompanha a saga de Santiago tentando pescar um peixe. Parece que algo fisgou o anzol. E pelo jeito que puxa o peixe deve ser grande. Santiago tenta observar o peixe, mas está muito fundo, não consegue. Trava-se uma batalha entre o velho senhor e o peixe que duram dois dias. E o velho não tem ninguém no barco para conversar. Conversa consigo mesmo, conversa com o peixe, se afeiçoa a ele, começa a chamá-lo de irmão. A gente nota que o velho delira, que ora sente dó do peixe, ora sabe que sua vida depende daquela pesca. Deseja o menino ao seu lado, para ajudá-lo, mais como uma metáfora - deseja a força do menino, deseja voltar a ser jovem, pois nessa pesca suas forças se vão todas. Sente câimbras nos dedos, sente muitas dores. E quando finalmente o peixe morre, tubarões surgem, e a batalha começa novamente.

Não vou contar como termina, o livro é bem curto, para se ler num fim de tarde, rapidinho. Não vou dizer que foi um dos meus livros favoritos, mas me trouxe muitas reflexões: mostra que nossa vida é isso mesmo - batalhamos, batalhamos, e quando achamos que vencemos precisamos batalhar de novo. Que os mais fortes chegam e nos roubam o que conseguimos muitas vezes com tanto suor. Que ás vezes nos arrependemos do que fazemos, mas pressionados pela necessidade de sobrevivência precisamos fazer assim mesmo. Que a sociedade deixa à margem os idosos, que no fim da vida pouco se vê de dignidade e isso é muito triste. Um livro definitivamente ótimo para se refletir e é preciso ler com este olhar - de reflexão. Recomendo. 


Um homem pode ser destruído, mas nunca derrotado. 



Sinopse:
Best-seller em todo o mundo e também no Brasil, "O Velho e o Mar" conta a história de um pescador que, depois de 84 dias sem apanhar um só peixe, acaba fisgando um de tamanho descomunal, que lhe oferece inusitada resistências e contra cuja força tem de opor a de seus braços, a de seu corpo, e, mais do que tudo, a de seu espírito.
Um homem só, no mar alto, com seus sonhos e pensamentos, suas fundas tristezas e ingênuas alegrias, amando com certa ternura o peixe com que trava ingente luta até levá-lo a uma derrota leal e honesta.
Uma obra-prima da literatura contemporânea, dotada de profunda mensagem de fé no homem e em sua capacidade de superar as limitações a que a vida o submete.