Resenha : O gato preto, de Edgar Allan Poe


Livro: O gato preto
 Autor (a): Edgar Allan Poe
Editora: Martin Claret / Gênero: Quadrinhos / Terror / Suspense / Conto
Páginas: 72 / Ano: 2017
Skoob


       Olá gente! Tudo legal? Hoje a resenha que trago é desse mega lançamento da editora Martin Claret e é o primeiro livro da editora no seguimento quadrinhos. O livro é uma adaptação de um dos contos mais conhecidos de Edgar Allan Poe, O gato preto e está demais essa edição! Eu amo quadrinhos, e quando a editora anunciou que estaria lançando o conto, fiquei muito curiosa com o trabalho final. E não me decepcionei, o livro está demais.













       Primeiro, vou falar do que achei de interessante nessa aposta da editora e o que me chamou a atenção: o livro conta com um prefácio bem interessante do Prof. Dr. Alexandre Huady Torres Guimarães, no qual nos faz uma breve apresentação do conto e da idealização da editora de mostrar para o mundo sua primeira aposta em HQ. Gosto de ler esses prefácios, pois ficamos sabendo como surgiu a publicação, e como foi pensada. Logo após essa introdução, vamos acompanhar em desenhos muito bem feitos a evolução do conto em quadrinhos. Os desenhos são realmente bons, e como o conto é um tanto macabro, os desenhos são muito fiéis hahah, ótimo para qualquer amante de um bom terror. Logo após as tirinhas, há uma breve biografia de Edgar Allan Poe em quadrinhos também e logo após entra em cena um artigo de Lilian Cristina Correa, que nos transporta ao mundo de mistério e da influência de Poe para a literatura, um artigo sucinto, mas muito relevante para entender um pouco mais dos mistérios que envolvem a vida desse autor tão atemporal, que apensar de ter vivido em meados de 1800, influencia com seus escritos a literatura até hoje. E então, depois desse artigo, uma coisa que eu achei super legal, a editora trás o conto na integra, e trazer o conto na integra me surpreendeu, porque sempre que eu leio uma adaptação em quadrinhos, fico curiosa com a história original, e por ser um conto curto, permitiu que a editora o atrelasse a obra. Isso deixou a HQ muito completa, e por conseguinte, me deixou bastante satisfeita. Você faz um tour completo pela história e conhece muito bem o autor. Então, ponto máximo no quesito informação - você termina a HQ com todos as resposta e detalhes sobre o conto em questão. 


      Para quem não conhece o conto (eu não conhecia, já li outros do Poe, mas esse eu ainda não tinha lido), Poe vai nos presentear com detalhes da mazela humana, com mudanças de humor e temperamento, com um vício alcoólico e um gato com sede de vingança. O personagem principal, narra a história e relata que durante sua infância sempre esteve envolvido com o amor que sentia pelos animais. Quando adulto, sua casa vivia cheia deles. Seu amor, no entanto, era incondicional por um certo gato preto, Plutão, muito carinhoso e que estava sempre por perto. Após cair em desgraça e deixar se levar pelo vício da bebida, nosso personagem se torna violento, com a esposa e os animais e sobrou até para seu gato querido. Em uma noite, acaba em um acesso de raiva por lhe arrancar um olho, e por não conseguir conviver com o gato sem um olho a observá-lo, acaba por enforcá-lo em uma árvore ao lado de sua casa. 

      Depois desse enforcamento, algumas coisas sombrias começaram a acontecer. Até que o moribundo encontra novamente um gato preto, e resolve levá-lo para casa, para se redimir da morte do outro gato. E ficou ainda mais solidário quando viu que o gato em questão também não tinha um olho. Mas não podia ser o mesmo, claro que não, já que o outro havia morrido enforcado e este gato tinha uma mancha mais clara que lhe rodeava o pescoço. Mas então... algo terrível acontece e o personagem principal é posto à prova. E percebe duramente que a justiça tarda, mas não falha

       Eu curti demais esse livro, apensar de terror não ser o meu tipo de leitura favorito (coisas muito macabras me assustam haha), este livro aqui é macabro na medida certa. E conhecer mais sobre Poe, que é um autor muito comentado ainda nos dias de hoje foi muito interessante. Leituras desse tipo nos mostram como certos autores e obras ultrapassam a barreira do tempo e se tornam eternas. São obras memoráveis que trazem em sua bagagem muita história, por isso essenciais para a construção de legados que vão transcorrer de geração para geração. Essa aposta em HQ da editora tem a minha aprovação e espero ansiosamente que surjam mais obras desse tipo, pois sou apaixonada por elas. Uma obra para se adquirir, sem medo de ser feliz! 


Sinopse:
A intrigante história de "O gato preto" é narrada em primeira pessoa pelo personagem sombrio que desde criança possui uma grande afeição por animais, mas o destino mostra-se assustador quando um gato preto aparece em sua vida. Nesses quadrinhos desfrutamos um pouco do mistério, do fantástico e da alma do ser humano, que se revela aterrorizadora. Uma leitura imperdível.



Novidade - O menino múltiplo, de Andrée Chedid, será publicado pela Martin Claret


Oi oi pessoal!
tudo bom com vocês?

Quem ai ama lançamentos? Na semana passada, a editora Martin Claret anunciou que uma nova autora fará parte dos seus. A mais nova aposta da editora será em O menino múltiplo, de Andrée Chedid, que está com uma capa linda de morrer e com um conteúdo muito atrativo.
 Trago um pouco mais sobre a obra para que vocês possam conhecer um pouquinho:





É com grande alegria que anunciamos a inclusão de uma nova autora em nosso catálogo, e com um diferencial, suas obras ainda não estão em domínio público. 



Andrée Chedid foi poeta, romancista, novelista e dramaturga, nasceu no Egito, em 1920, e lá publicou sua primeira coletânea de poemas: "On the trails of my fancy". De origem libanesa mudou-se para Paris em 1946 e três anos depois lançou a coletânea Textes pour une figure a primeira obra em sua nova pátria e a precursora das mais de 40 obras que publicaria. A autora teve dois de seus romances adaptados ao cinema – "Le sixième jour" em 1986 com a direção de Youssef Chahine e L’autre em 1991 pelas mãos de Bernard Giraudeau – e, ao longo de sua carreira, foi contemplada com mais de vinte prêmios literários, dentre eles o Goncourt de Nouvelle em 1979, com Les Corps et le temps, e o de Poesia em 2002, pelo conjunto de sua obra. Além de ser uma excelente poetisa e romancista, Chedid também se aventurou na música e compôs letras para o neto, Matthieu Chedid, incluindo Je dis Aime, uma das músicas mais conhecidas do público francófono. Membro honorário da Academia de Letras do Québec, em 2009 a autora foi condecorada como Oficial da Legião de Honra da França e, em 2011, infelizmente nos deixou.




 A Poesia, segundo ela, guia sua obra, que traz temas relacionados à riqueza do ser humano, à defesa do múltiplo, ao rosto e ao amor. 

O romance "O menino múltiplo" será sua primeira obra traduzida em língua portuguesa no Brasil. A obra conta a história de Omar-Jo, filho de pai muçulmano egípcio e mãe católica libanesa, um menino que carrega suas origens no nome e que, durante a guerra do Líbano, em 1987, encontra um destino cruel quando um carro-bomba leva seus pais e seu braço. E o menino de doze anos, então, é enviado pelo avô a Paris. E é lá que ocorre o encontro do Oriente com o Ocidente, do menino-duplo com as luzes, as cores, os sons e os movimentos do Carrossel de Maxime, um senhor rabugento e proprietário da atração que, pouco a pouco, reencontra com o menino, então múltiplo, a alegria de viver. Alteridade, amor e tolerância fazem parte do enredo, poético. A ser lido em voz alta.




Resenha : Fogo contra Fogo, de Jenny Han e Siobhan Vivian


Livro: Fogo contra Fogo
Os segredos as uniram, mas a verdade poderá separá-las para sempre
 Autor (a): Jenny Han e Siobhan Vivian
Editora: Novo Conceito / Gênero: YA (Jovem Adulto) 
Páginas: 352 / Ano: 2017
Skoob
LIVRO 3


Atenção: pode conter Spoiler do primeiro e segundo livro: 
Olho por Olho / Dente por Dente

Para ler a resenha do primeiro livro, cliquei aqui >> OLHO POR OLHO <<

Para ler a resenha do segundo livro, cliquei aqui >> DENTE POR DENTE <<


       Olá gente! Tudo em cima? Espero que sim! Hoje a resenha que trago é do livro Fogo contra Fogo, o terceiro livro de uma trilogia de vingança entre colegiais escrito por Jenny Han e Siobhan Vivian, publicado pela editora Novo Conceito. Essa série virou uma queridinha para mim, era como se eu estivesse acompanhando um seriado e tive sorte de lê-la toda de uma vez, porque os dois primeiros livros foram publicados em 2013, imagina só esperar? hahah... eu ia fica doida! Foi muito bom saber que o terceiro livro seria lançado este ano, então li um livro praticamente seguido do outro. E você precisa ler todos na sequência, para entender o enredo e para saber que fim levou cada personagem do livro.

 

        Se eu tivesse que escolher entre qual gostei mais, talvez fique com o primeiro. Eu me prendi muito na história do primeiro, e a sequência me prendeu bastante também, porém o primeiro é o meu favorito (apesar de ter dado somente 4 estrelas. Neste dei 5 estrelas por conta da série toda, acho que mereceu, pela forma que foi escrita, e por ter me prendido tanto).

       Bom, quem acompanhou os dois primeiros livros sabe que ainda estamos esperando por um desfecho na história de Mary, Kat e Lillia. No último livro, terminamos com a inesperada morte de Rennie (que ao meu ver, poderia ter esperado um pouco mais para morrer hahah... porque ela que botava pimenta no negócio, então esperava que ela fosse atazanar as três meninas ainda no terceiro livro) e descobrimos o que são essas coisas estranhas que acontecem com Mary - que na procura incessante por respostas acaba por ler os livros de sua tia e entende a sua condição. É então que as autoras surpreendem os leitores, pois neste livro Mary será a vilã - coisa que eu não imaginava que fosse acontecer e fiquei com o coração apertado, porque eu gostava muito da personagem dela, e queria que ela tivesse paz. 

Neste livro, Lillia ainda está apaixonada por Reeve, mas se culpa pela morte de Rennie e tenta se afastar dele. Mas como o amor entre os dois só cresce e não conseguem se conter, logo estão juntos e Mary descobre. Lillia tinha prometido a Mary que faria Reeve pagar pelos seus erros, mas ao invés disso se apaixona pelo cara e parece que Kat também está apoiando o novo casal, o que deixa Mary duplamente furiosa. As suas duas amigas estão fazendo exatamente o que juraram que não iriam fazer - ficar do lado de Reeve. Assim Mary começa vários planos de vingança contra as duas e está motivada a acabar com a vida de Reeve, pois só vai conseguir esquecer o que Reeve lhe fez se acabar com a vida dele, assim como ele acabou com a sua. 


Eu não posso mesmo dizer que se eu pudesse voltar e fazer tudo de maneira diferente eu faria. Porque se eu disse isso, então apago o amor que sinto por ele em meu coração, apago cada momento perfeito, toda vez que ele olhou para mim como se eu fosse a única garota do mundo. Eu não posso fazer isso. Eu não teria feito uma coisa diferente porque me entreguei a ele. O que tínhamos era perfeito, e foi finita da maneira que todas as coisas boas são. Nada que é bom dura muito. Eu tiro o colar que Reeve me deu e, em seguida, choro até o sol nascer. Pelo que poderia ter sido e que nunca será.

       O que posso tirar de impressões desse livro aqui: torci muito pelas três garotas, todas precisavam de um final legal e as autoras souberam dar os devidos finais para as três, e fiquei contente com eles. Durante toda a série me apaixonei por alguns personagens, fiquei dividida entre outros e odiei alguns do começo ao fim. Achei que talvez a Rennie poderia ter tido um outro final. Ela ter morrido não eliminou o que ela fez de errado nos outros livros, talvez as autoras poderiam ter feito com que ela se retratasse de alguma forma neste último livro. Também achei o lance sobrenatural um tanto esquisito, e fiquei sem algumas repostas. Mas ao mesmo tempo, dá uma sensação sombria e diferente na história, então preferi ler sem esse preconceito de achar tudo meio estranho e só curtir. É uma série que prende muito, disso não tenha dúvidas. E não imaginava que fosse gostar tanto. Me surpreendi de uma maneira boa, e esse lance de mostrar que não somos perfeitos e tentamos concertar as coisas que fazemos foi bem interessante. Afinal, muitas foram as práticas de vingança, mas até que ponto vinganças valem à pena? Há sempre um preço a se pagar, e as autoras nos mostraram que nem sempre a derrota alheia é o melhor preço. 


A melhor forma de se vingar é perdoar e seguir em frente.



Sinopse:
A festa de Ano-novo terminou com uma tragédia irreparável, e Mary, Kat e Lillia podem não estar preparadas para o que está por vir. Após a morte de Rennie, Kat e Lillia tentam entender os acontecimentos fatais daquela noite. Ambas se culpam pela tragédia. Se Lillia não tivesse se apaixonado por Reevie. Se Kat não tivesse deixado Rennie ter partido sozinha. Se a vingança não tivesse ido longe demais, talvez as coisas seriam como antes. Agora, elas nunca mais serão as mesmas. Apenas Mary sabe a verdade sobre aquela noite. Sobre o que ela realmente é. Também descobriu a verdade sobre Lillia e Reeve terem se apaixonado, sobre Reeve ser feliz quando tudo o que ele merece é o sofrimento, assim como ela ainda sofre. Para Mary, as tentativas infantis de vingança ficaram no passado, ela está fora de controle e pretende sujar suas mãos de sangue, afinal, não tem mais nada a perder.

Resenha : A menina que não acredita em milagres, de Wendy Wunder



Livro: A menina que não acredita em milagres
 Autor (a): Wendy Wunder
Editora: Novo Conceito / Gênero: YA (Jovem Adulto) 
Páginas: 327 / Ano: 2016
        Olá galera, tudo legal por aí? Hoje a resenha que trago é desse livro de capa mega fofa A menina que não acredita em milagres, de Wendy Wunder, publicado pela editora Novo Conceito. Este livro foi publicado o ano passado em forma de e-book, e neste ano ganhou uma edição física que está super show! É um livro lindo por dentro, com desenho de pássaros em cada novo começo de capítulo.



        Para você que gostou de livros como A culpa é das estrelas, este livro segue mais ou menos a mesma linha. Há um pouco de drama, diálogos inteligentes, conflitos familiares, um romance inusitado e uma garota que está doente e descrente. 

       O livro conta a história de Can, uma adolescente de 17 anos quase normal. Quase porque Cam tem um gigantesco problema: Cam tem câncer. E sua última consulta com o médico de confiança da família não foi muito animadora: seu corpo todo brilhou ao realizar uma tomografia de acompanhamento da evolução do tratamento. Os médicos então não indicam outra opção, não confiam em nada mais, não têm nenhuma outra opção para a garota. As tentativas foram esgotadas, só resta agora Cam esperar e viver seus últimos dias de vida da maneira mais digna, porque Cam não acredita em milagres. Ela vai morrer e pronto, e não deveria ser um grande drama. Afinal todos morrem, ela só está indo antes. 







         Cam é um caso perdido, mas não para sua mãe. Sua mãe vai arriscar tudo para dar a filha uma última chance. A mãe de Cam acredita em milagres, acredita que há uma saída, que tudo simplesmente não pode terminar assim, sem tentativa, a mãe de Cam não admite derrota e não vai deixar de lutar. Então, por indicação de um amigo, a mão de Cam, Alicia arruma a mala dela e de sua irmã e partem em viagem para uma cidadezinha chamada Promise, onde relatam ter acontecido vários milagres e curas neste lugar. É claro que Cam não acredita em nada disso, mas que outra opção ele tem? A mãe praticamente a obrigou a ir junto, e só o que Cam queria era morrer em paz, na sua casa, no seu bairro, quieta no seu canto do seu jeito. Mas sua mãe sempre foi muito maluca e não vai ser agora que Cam vai impedi-la de fazer o que quer. É assim que a aventura destas três começa. 


- Algumas pessoas dizem que se deve prestar atenção em coincidências - [...] - Pode mostrar a você o seu caminho. Além disso, essas coincidências são suficientes para manter as pessoas acreditando. Para lhes dar um pouco de esperança

        Promise vai ser responsável por abrir um buraco no tempo de Cam, uma brecha em meio a dor e tristeza, um respiro em seus dias contados, vai trazer cor para os dias brancos e pretos. Vai lhe ensinar a perdoar e entender como o amor pode nos modificar. 


Se você acreditava que os pensamentos eram energia e energia é matéria (E=mc²), e a matéria aparece, então uma pessoa nunca pode realmente deixar você, a menos que você pare de pensar nela. 


        A história desse livro é tão linda! Nele eu chorei, eu sorri, tive esperanças, chorei novamente e então sorri e aprendi que tudo é uma questão de perspectiva. O infinito pode caber em alguns dias? O infinito é relativo? Nos faz ver e fletir no nosso presente, e ele é agora, ele deve acontecer neste exato momento. Outros personagens maravilhosos que a gente conhece no decorrer da história: Lily, a melhor amiga de Cam também com câncer, uma avó super maluca e engraçada chamada Nana, Asher o garoto que vai balançar o coração de Cam, morador de Promise. Além de Cam, a personagem mais marcante para mim foi Alicia, a mãe, uma personagem forte e ao mesmo tempo sentimental, que lutou e fez de tudo por Cam, deu o seu melhor para arriscar uma última chance, acreditou em milagres e quis fazer da vida de Cam um milagre, lhe dando oportunidades de melhorar. Este é aquele tipo de livro raro - como um flamingo e dentes de leão lilases.


Sinopse:
Campbell tem 17 anos.
Ela não acredita em Deus.
Muito menos em milagres
Cam sabe que tem pouco tempo de vida, por isso quer viver intensamente e fazer tudo o que nunca fez, no tempo que lhe resta. Mas a mãe de Cam não aceita o fato de perder a filha, assim, ela a convence a fazer uma viagem com ela e a irmã para Promise um lugar conhecido por seus acontecimentos miraculosos.
Em Promise, Cam se depara com eventos inacreditáveis, e, também, com o primeiro amor. Lá encontra, finalmente, o que estava procurando mesmo sem saber.
Será que ela mudará de ideia em relação à probabilidade de milagres? 
A Menina que não Acredita em Milagres vai fazer você rir, chorar e repensar sua conduta de vida.


Resenha : Dente por dente, de Jenny Han e Siobhan Vivian


Livro: Dente por dente
Depois que a chama se ascende, só resta deixar o fogo arder
 Autor (a): Jenny Han e Siobhan Vivian
Editora: Novo Conceito / Gênero: YA (Jovem Adulto) 
Páginas: 510 / Ano: 2013
Skoob
LIVRO 2

Atenção: pode conter Spoiler do primeiro livro: Olho por Olho.
Para ler a resenha do primeiro livro, cliquei aqui >> OLHO POR OLHO <<. 



       Olá lindezas, tudo legal com vocês? Hoje a resenha que trago é do segundo livro, de uma trilogia, publicado pela editora Novo Conceito, cuja sequência é este aqui: Dente por Dente (o primeiro livro é Olho por Olho e o último Fogo contra Fogo). Escrito por Jenny Han e Siobhan Vivian eu tinha que ler imediatamente este livro, logo depois de terminar o primeiro, porque ele fica tipo, muito inacabado! hahah você quer saber demais o que vem depois e o que aconteceu com os personagens. 

       Então se você ainda não leu o primeiro, corre grande risco em ler essa resenha. Pode conter Spoilers! 

       No primeiro livro, acompanhamos a saga das três garotas principais: Lillia, Kat e Mary e seus planos de vingança, contra Alex, Rennei e Reeve. Neste livro, as garotas permanecem amigas, já que os planos de vingança foram postos em execução e parece que agora a vida das três se entrelaçou de vez, mediante os desdobramentos dos acontecimentos. 

       Após a grande festa de final de ano (que é onde termina o primeiro livro), uma situação inesperada acaba por fazer o plano das meninas ir longe demais. Reeve acaba se desequilibrando e caindo do palco onde iria receber o prêmio de rei da noite no homecoming e se machuca gravemente. As meninas de início pensam que seria algo mais grave, mas ele apenas quebra a perna. Porém sua recuperação será lenta e ele vai ficar fora do time de futebol, esporte que ele mais gosta e que seria sua oportunidade de entrar em uma boa faculdade e ganhar uma bolsa. Ele vai ficar fora do time na última temporada e isso vai atrasar seus planos, vai afastar os olheiros e Reeve fica tremendamente chateado.


       Lillia também fica muito chateada, afinal o plano das garotas foi longe demais e alguém saiu machucado. E Lillia, apesar de não ser a única e elaborar todo o projeto de vingança, foi a responsável por colocar na bebida de Reeve uma droga que o fez perder os sentidos, por isso a queda. 

       Mas talvez Reeve mereça seu destino. Mary revela para as meninas como Reeve foi desprezível com ela, como a traumatizou profundamente e mediante estes relatos, Lillia e Kat sabem que Reeve tem muita culpa no cartório. E na noite de Halloween, Reeve tem a chance de se desculpar com Mary, pois se encontram em uma visita ao labirinto medonho da cidade (evento que é recorrente na Ilha Jar nessa época do ano) e ficam frente a frente. Mas ao invés de se desculpar, Reeve é ainda mais grosseiro com Mary, e as suas duas amigas escutam as palavras pesadas de Reeve para com Mary e não podem deixar isso passar em branco. 


Aposto que não pareço tão culpada como me sinto. 

       É então que bolam um novo plano, para continuarem sua vingança contra Reeve, e deixar ele tão despedaçado como deixou Mary, há um ano atrás. Eles vão dar a Reeve o que ele quer: vão vaze-lo acreditar que Lillia está apaixonada por ele, e então Lillia lhe dará um belo fora, para que ele seja humilhado por quem mais ama. As meninas sabem que Reeve sempre fora apaixonado por Lillia, mas a única pessoa que o suporta é Rennie, e ela faz questão de estar ao lado de Reeve a todo momento, se iludindo e se fazendo de sua namorada. Lillia também não está bem com Rennie. As duas não voltaram a ser amigas depois do acontecido na noite do Homecoming. E passar por cima de Rennie para conquistar Reeve não vai ser nada fácil. Rennei parece um cão de guarda em volta do garoto. Mas Lillia é esperta e joga seu charme de uma forma irresistível. O que Lillia não esperava era conhecer Reeve bem demais. Conhecer ao ponto de talvez ver algo de bom nele. E estregar tudo. 

      Bom gente, minha opinião: eu não esperava que fosse gostar tanto dessa série. Sei lá, tem algo que me faz querer ler e ler... apesar de em alguns trechos eu achar a história um tanto enrolada, e demorou um pouco para deslanchar, mesmo assim, eu curti muito a leitura. Parece que estou assistindo a uma novela meio dramática, meio luxuosa, meio periferia, tudo ao mesmo tempo, pois temos três garotas de classes sociais diferentes. E pra deixar mais tenso o negócio, nesse livro parece que Mary tem algo de sobrenatural (tá, isso eu achei meio forçado, somente por conta disso que acabei dando 4 estrelas para o livro, porque sei lá, achei um tanto estranho mesmo, vamos ver como será o terceiro livro, espero não me decepcionar). Essa questão do sobrenatural vocês vão entender somente nas últimas páginas do livro, e é muito estranho como acaba, por isso digo que espero que o terceiro me traga respostas bem convincentes hahaha. De modo geral, neste aqui eu senti que o enfoque foi mais em Lillia, porque ela foi a principal, houve mais trechos e pontos de vista dela neste livro. Mas as duas outras personagens Kat e Mary tiveram uma participação ótima também. Você continua torcendo por alguns personagens e sentindo raiva de outros, fica confusa, porque surgem alguns elementos que fazem você gostar de quem não gostava muito (neste caso, fiquei meio que apaixonada por Reeve, mas tremendamente de coração partido por Alex, vocês vão entender lendo o livro). Continuei não gostando nem um pouco de Rennie neste livro, hahah, ô garota mais entojada! kkkkk. E só digo que vou imediatamente começar a leitura do terceiro livro, porque preciso tirar a limpo essa história gente, num dá pra ficar nesse martírio não! hahah. Recomendo a leitura!


Eu me sinto aquecer, um fogo. Mais quente que qualquer uma das outras vezes. Fecho meus olhos, e todo o resto fica branco, como o centro do sol. Mal escuto Rennie, porque isso é o fim de tudo. Minha chance de finalmente dar um salto. É um alívio poder fazer isso. Finalmente me libertar. 

Sinopse:
Depois dos acontecimentos do homecoming, Reeve foi parar no hospital, com uma perna quebrada, e seu futuro como atleta está ameaçado. As meninas se sentem culpadas por toda a situação. Não esperavam que as consequências do plano fossem tão graves. Quase perderam o controle. Já que Reeve está mais arrogante do que nunca, o jeito será aplicar nele uma dose do seu próprio veneno e esperar que aprenda a lição. O acidente no baile deixou marcas profundas na consciência de Lillia, Kat e Mary. Sentimentos como amizade, lealdade e ódio se misturam, questionamentos sobre limites... Alguns segredos são mais difíceis de guardar. Aliás, o que são essas coisas estranhas que estão acontecendo com Mary? À medida que Lillia, Kat e Mary descobrem verdades incômodas sobre os moradores da ilha, percebem também que não se conheciam como pensavam. Cada vez mais elas lidarão com o sentimento de que talvez tenham ido longe demais...



Resenha : Viva com alegria, de Anselm Grün


Livro: Viva com alegria
 Autor (a): Anselm Grün
Editora: Vozes / Gênero: Filosofia / Espiritualidade
Páginas: 129 / Ano: 2014
Skoob

       Olá lindezas, tudo bem? Vamos de resenha de livro reflexivo? Vamos! Hoje a resenha que trago é deste livro do Anselm Grün, Viva com Alegria, publicado pela editora Vozes. É um livro curto, permeado de pensamos deste filósofo que gostei muito de conhecer a cerca do tema alegria.


       Este livro é bem leve, com algumas citações ora propensas ao religioso (mas aqui relato que não explora uma religião em específico, mas passagens bíblicas que nos revelam a importância da alegria) ora de cunho mais pessoal, mais filosófico. É como se o autor estivesse nos dando a sua fórmula para enxergar a vida com mais leveza e alegria. 

       Dividido em dezesseis capítulos, o livro discorre sobre como viver a alegria, como se alegrar ao se deparar com belezas da natureza (a alegria está nas simplicidades), em como reavivar as diversas fontes de alegria que nos cercam, conselhos para nos alegramos com nosso corpo, com nosso sucesso, com nosso momento, um livro que te faz prestar mais atenção em si mesmo e no que está ao redor. Pode até soar um tanto ingênuo, mas ás vezes a gente precisa dessa sacudida na vida. São muitas as vezes que nos colocamos para baixo, ou nos entristecemos quando um plano não dá certo. Este livro vai nos mostrar que é possível se alegrar de forma despretensiosa e realmente verdadeira. Vai nos mostrar que é preciso rituais particulares que nos despertam a alegria e que cada um a sente de forma muito própria. Mas que é preciso buscar sua essência: não é possível estar apenas feliz por estar. Pelo o quê você é feliz? É isso que o livro vai nos questionar. Você é feliz nas causas corretas?







      Além de reflexões a cerca deste tema, também cita alguns trechos bíblicos que comprovam as falas do autor - que aliás, adorei conhecer, já quero ler mais livros dele. Nada impositivo, os trechos são complemento do que o autor quer nos passar. Ele nos revela através destes trechos o quanto Deus deseja que nos alegremos com nossa vida. Para Deus esse é principal propósito de nossa existência: sermos felizes e nos alegrarmos com  tudo de lindo e maravilhoso que ele criou nesse mundo. Logo no início, Alselm, o autor nos revela um pouco do que esperar da leitura:



O caminho não é ignorar a tristeza, mas perceber este anseio de alegria que está escondido e oculto na tristeza. Este livro convida vocês a observar a vida sob uma luz diferente. E, observando a vida de outro modo, vocês descobrirão muitos bons motivos para a alegria.

      Concordo com ele: uma vida plena de alegria não é uma vida ausente de tristeza. Mas é não se deixar abater por estes momentos. Saber que as tempestades vem e vão. E que no meio delas é possível ser extremamente feliz. E isso que é o importante: saber que os momentos de felicidade devem ser aproveitados ao máximo e plenamente. O autor ainda continua:



Alegria é a expressão de vitalidade e vida plena. Se assim eu entendo a alegria, liberto-me da pressão, alegro-me sempre e irradio constantemente o efeito de um sorriso. [...] a alegria tem uma função terapêutica: nos dá saúde interior, vitalidade e gosto pela vida. Tira-nos do isolamento no qual a tirania do medo nos confinou e nos leva à solidariedade para com os outros. 

      Estar feliz é isso - estar cheio de alegria, de vontade de viver, de vontade de fazer o bem, de melhorar, de fazer pelo outro. Essa é uma leitura que vai nos mostrar essas sutilezas do estar alegre e o que isso nos proporciona de bom. Uma leitura leve e carinhosa, que recomendo para quem quer praticar um pouco mais no seu dia a dia, a leveza do sorrir.  


Sinopse: 
Uma coleção de pequenas reflexões acerca do tema alegria.

Resenha : Sempre haverá você, de Heather Butler


Livro: Sempre haverá você
 Autor (a): Heather Butler
Editora: Novo Conceito / Gênero: Romance / Drama / Ficção
Páginas: 256 / Ano: 2017
Skoob

       Olá pessoal, tudo legal com vocês? Preparados para a resenha de hoje? Então vamos lá! Hoje apresento a vocês este livro super fofo e que me deixou com o coração apertado, mas ao mesmo tempo alegre. O mais novo lançamento da editora Novo Conceito, Sempre haverá você, de Heather Butler, é aquele tipo de livro que vai te ensinar lições, que vai fazer você se apaixonar por George, um garotinho de apenas 10 anos, mas que precisa passar por uma da que será a maior provação de sua vida: sua mãe está com câncer. Um tumor no cérebro. Sim, ele cresceu sem alerde. Ela é nova, está na casa dos quarenta anos. E George não imagina como será sua vida se sua mãe morrer.



       Você imagina que talvez o livro seja carregado de drama, com essa premissa. Mas não, achei tudo muito suave. Como o livro é narrado por George, que é uma criança extremamente esperta, tudo fica mais ameno. A gente não imagina o que passa na mente de uma criança, quando descobre que seu pai ou sua mãe estão com uma doença grave, e acompanhar a narrativa de George realmente foi emocionante. 



       Como adultos, não conseguimos desligar quando há um problema desse tipo em nossa família, ou quando um problema assim nos acomete. Mas George é uma criança e apesar de pensar a respeito, sua mente de criança funciona do mesmo jeitinho, ele continua a pensar em coisas bobas, continua a gostar da mãe do mesmo jeito, apesar de irmos acompanhando suas dificuldades como canseira excessiva, uso de cadeiras de rodas, dificuldade de fala e movimento. E isso só me faz crer e afirmar a pureza que há nas crianças. Para elas é tudo muito simples. Eles amam sem exigir nada em troca, eles aceitam o destino e vão vivendo. 




Depois, nos afastamos da cama. E, ao fazermos isso, os pensamentos ruins soluçam em minha mente. E eu finjo que eles não estão lá. Mas eles estão. 

       Paralelo ao problema da mãe de George, também vamos encontrar no decorrer da leitura uma família muito unida e cheia de amor. George tem um irmão mais novo que é uma graça e só quer contar quantos puns seu cachorro Goffo é capaz de fazer durante o dia. O pai dos meninos também é muito presente e quer sempre saber no que os filhos estão metidos e as encrencas que aprontam. George também tem um arqui-inimigo chamado chamado Calr, que é um criança maldosa e mimada, que desconta sua raiva nos amiguinhos, não tem trava na língua e tenta todo o dia desestabilizar George, mas ele sabe que Carl só está provocando, então tenta não dar bola. Tem um melhor amigo também, chamado Dermo, que vai ajudá-lo a enfrentar essa barra que é ver a mãe piorar a cada dia, e o medo crescente que fica cutucando seus pensamentos mais vezes do que deseja. 


      George adora palavras e as palavras que mais gosta ele as deixar em negrito e as palavras que ele menos gosta, ele as escreve com letra menor. Uma palavra que ele tem usado com frequência é hilário e merece ser escrita em negrito, porque é uma palavra super legal. E a palavra que ele mais teme ultimamente é câncer. Concordo com George. Essa palavra não é legal, essa palavra não deveria nem existir. Adorei os diálogos, amei como a autora conseguiu de uma forma tão singela e simples abordar um tema gigantesco e doloroso que é a descoberta de um câncer. O carinho com que trata a mãe vai fazer você amar o George e as brincadeiras que só os dois têm também. Um livro que vai ficar no meu coração e que virou favorito, doce e impetuoso, como um sorriso de criança. 


- Os médicos têm esperança que eu possa ir para casa no fim de semana - ela diz. Eu quero que ela vá pra casa e fique contando histórias sobre a Preciosa Person e sua aula de aeróbica enquanto jantamos frango assado com batatas crocantes que ela fez. Eu a quero rindo e caminhando no parque com o Goffo, indo às reuniões da escola, trabalhando na floricultura e fazendo coisas com a gente na mesa da cozinha antes de irmos dormir. Mas agora é como metade dela fosse a mamãe e a outra metade fosse o câncer. E a metade do câncer manda ela ficar no hospital e está fazendo o cabelo dela cair, mesmo ela tendo cortado bem curto. E todo mundo tem que fazer tudo para ela. 

Sinopse: 
A mãe do George e do Theo é genial. Ela conta histórias incríveis, acena mais rápido do que qualquer pessoa do planeta e, o mais importante, foi ela que sugeriu que eles adotassem um cachorro porcalhão chamado Goffo. Os meninos acham que ela é invencível. Mas eles estão errados. Porque a mamãe está doente. E cabe ao George e ao Theo fazer a mamãe continuar sorrindo. O que, muito provavelmente, vai envolver galochas, tortas de carne e a participação do Goffo no Concurso de Talento Animal...

Agora que a mamãe ficou doente, está cada vez mais difícil sorrir e inventar versos com o Theo. Sempre haverá você conta sobre uma família diferente da sua, mas um pouquinho parecida. E de um menino que está aprendendo algumas coisas. Você quer ser amigo dele?