Resenha : Auggie e eu, de R. J. Palacio


Livro: Auggie & eu - três histórias extraordinárias
 Autor (a): R. J. Palacio
Editora: Intrínseca / Gênero: YA / Infanto Juvenil
Páginas: 326 / Ano: 2015
Skoob

       Olá lindos e lindas, tudo bem com vocês? Espero que sim! Hoje a resenha que trago aqui para o blog é do livro Auggie & Eu, da R. J. Palacio, publicado pela editora Intrínseca. Este livro contém três contos que fazem menção ao menino Auggie, do livro também publicado pela editora chamado Extraordinário. Então eu recomendo ler este livro depois de ler Extraordinário, apesar dele não ser uma continuação, e sim um completo. Acontece que se você não ler o outro livro primeiro, vai ter a sensação de estar faltando algo, pois neste os três contos estão completamente interligados com a história que acompanhamos em Extraordinário.

Então, recomendo, leia este primeiro:



      Sou completamente apaixonada pela história do Auggie, e o livro Extraordinário é aquele tipo de livro que vai te acompanhar pra sempre. Em Extraordinário, vamos conhecer um garoto que tem uma má formação crânio facial. Mas a má formação de Auggie é bem grave, e o fez ser submetido a várias cirurgias, sendo que seu rosto é pouco comum. E enfrentar o dia a dia tendo um rosto comum já é difícil, imagina para quem tem que ficar fugindo dos olhares curiosos das outras pessoas, ou pior, não conseguindo se aproximar de outras pessoas por ser julgado um monstro. 



      Infelizmente o ser humano é total visual. E não podemos negar isso. Nossa mente vê o todo e quer compreendê-lo, quer dar forma. Nosso olhar quer deixar o que é visto bonito e sente repulsa pelo que é incerto ou incompreendido. Nosso cérebro foi programado para dar razão a tudo. E Auggie tem a difícil tarefa de mostrar que as aparências enganam, que o diferente também pode ser legal, e que não é sua culpa ter nascido um pouco estranho. 


       Basicamente é esta a história que vamos acompanhar em Extraordinário. Já em Auggie e Eu, vamos acompanhar a histórias de três outras crianças que tiveram suas vidas ligadas ao Auggie: Julian, Christopher e Charlotte. Cada um deles vai ganhar um novo capítulo nesse livro.


       O capítulo do Julian: Neste capítulo, vamos conhecer um pouco mais de Julian, o carrasco da história de Auggie. Julian foi o garoto que o perseguiu com brincadeiras maldosas, com frases de bulling escondidas dentro do armário, e que todo mundo passou a não gostar no primeiro livro. Neste livro a autora nos traz o seu ponto de vista, nos chamando a atenção que nem todo mundo é mal ou bom para sempre. E que neste caso, não podemos julgar que Julian será para sempre mal por conta do que fez a Auggie. E será que ele também não é assim por conta da educação que tem? O que está por trás dos atos de Julian que o fez ser maldoso com Auggie? Eu achei super interessante a abordagem da autora, pois nos faz refletir muito. Ela nos mostra como pais mal intencionados podem moldar o caráter de uma criança e como muitas vezes a criança acha que não está fazendo nada de errado, mas como não tem ninguém para corrigi-la isso passa a ser normal. Um capítulo essencial que nos motiva a dar segundas chances às pessoas, para tomarmos cuidado com o que falamos perto das crianças e como estamos ensinando que sejam com o próximo. 


       O capítulo que a autora intitula como Plutão: vai trazer um pouco da história de Christopher, um dos melhores amigos da infância de Auggie. Mas Christopher é aquele tipo de amigo que ainda não se decidiu - ele tem hora que gosta muito de Auggie, mas tem momentos que sabe que é difícil manter uma amizade com alguém tão diferente. Isso porque a maioria dos seus outros amigos não compreendem Auggie e suas diferenças físicas, o que os faz se afastar de outras crianças. Christopher também tem ciúmes da mãe, que está sempre pronta para socorrer os pais de Auggie, deixando muitas vezes o filho em segundo plano. Neste capítulo vemos a dificuldade que é em manter essa amizade para Christopher e é preciso muita coragem para assumir para si mesmo essas responsabilidades. Christopher para mim é um garoto extremamente sensível, que passa por todos os sentimentos que também passamos: inveja, raiva, ciúme, carinho, amizade e que está amadurecendo os sentimentos, tentando entendê-los e faz o possível para não magoar os que estão a sua volta. Um capítulo comovente e que me deixou com o coração apertado e alegre ao mesmo tempo.


       O capítulo que a autora intitula como Shingaling: vamos acompanhar a história de Charlotte, uma das escolhidas pelo Prof Buzanfa para fazer parte do comitê de boas vindas de Auggie nos seus primeiros dias de aula na nova escola. No primeiro livro acompanhamos uma Charlotte que se prontificou a ajudar, mas que mantinha certa distância de Auggie. E para entender o porquê, a autora a trás de volta com sua história para sabermos um pouco mais dela. Nesse capítulo a mais, vemos uma Charlotte que apensar de se manter neutra em relação a Auggie tem o papel de não se levar pela onda dos outros, que se afastavam do garoto, que deixavam de conversar com ele, fazendo o seu papel de longe, mas fazendo. E a autora explora sua história tão lindamente, que foi um dos capítulos que mais gostei. Da amizade que Charlotte tem com outras garotas (e de como Charlotte julga e julga o tempo todo as outras pessoas, sem perceber que está fazendo isso), e mesmo essas garotas tendo o rosto todinho no lugar conseguem arranjar outros tipos de problemas. Nos mostra que ninguém está imune a problemas e que a vida é um eterno aprender e viver, e errar, e tentar novamente e seguir em frente. 


Minha esperança é de que, quando começarmos o sexto ano, mais velhos e sábios, todos nós aprendamos a confiar uns nos outros o bastante para podermos ser nós mesmo e aceitar os demais pelo que eles realmente são. 


       Eu simplesmente amei esse livro, foi um complemento super gostoso de acompanhar. Eu não vejo a hora que essa autora publique outros livros, porque ela escreve muito bem e com sentimentos. É aquele tipo de livro que você precisa ler para o seu filho, tipo uma cartilha de boas maneiras, que o faz enxergar como palavras podem machucar o outro e como é bom ser legal com os outros e o que ganhamos e doamos com isso. Um livro que todo pai deveria ler para o seu filho, um modo de prático e sincero de se ler que gentileza gera gentileza. 


Às vezes, as amizades são difíceis. 

Sinopse:
A história de Auggie Pullman, o menino de aparência incomum que tem encantado milhares de leitores desde o lançamento do romance Extraordinário, em 2013, ganha agora novas perspectivas: Julian, Christopher e Charlotte, personagens da vida de Auggie, narram nos três contos reunidos no livro Auggie e eu seus encontros e desencontros com o amigo extraordinário.
O capítulo do Julian dá voz a um personagem controverso: o menino que liderava o bullying contra Auggie na escola. Enfim temos a oportunidade de entender o que o levou a agir dessa forma e o que Julian pensa das próprias ações. Em Plutão, o narrador é Christopher, o primeiro amigo de Auggie. Os dois meninos compartilham lembranças da infância e, apesar de terem se distanciado, aprendem que boas amizades sempre valerão um esforcinho a mais. Shingaling mostra Auggie pelos olhos de Charlotte, a única menina entre as três crianças escolhidas para apresentar a Auggie sua nova escola. Com ela entramos no universo das garotas e vemos como a chegada de Auggie afetou as relações entre elas.
Para quem sente saudades do menino cativante de feições e personalidade extraordinárias e tem curiosidade em saber mais sobre sua história, Auggie & eu é um verdadeiro presente.
:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk

0 comentário

Postar um comentário